10 de ago de 2009

ESPECIAL:ENTREVISTA COM VICTOR & LEO


Desde que ascenderam nacionalmente, eles nunca saíram do topo das paradas. Surgidos na mesma época em que o movimento “sertanejo universitário” se destacava, não demorou para que se diferenciassem da maioria, e assumissem o posto de dupla mais tocada em todo o Brasil.

Donos de um estilo bastante peculiar, começam a ser copiados por duplas novas, mas que esbarram na falta de referências musicais além da música sertaneja.

Victor, figura presente nas primeiras posições da lista de compositores mais executados nas rádios, e Leo, um primeira voz de voz aveludada, não tão comum na música sertaneja, estão no rol dos artistas de maior apelo midiático da atualidade.

As vendagens merecem destaque, principalmente diante das dificuldades da indústria fonográfica. No primeiro semestre de 2009, a dupla atingiu a marca de um milhão de discos vendidos. Em 2008, Victor e Leo emplacaram dois álbuns na lista dos dez mais vendidos.

Os irmãos rechaçam, entrevista por entrevista, a busca pelo sucesso. Preferem deixá-lo para segundo plano, com o discurso de que música é, antes de tudo, uma questão espiritual. Dessa forma, conquistaram uma legião de admiradores, e tornaram-se donos dos shows mais disputados nas festas pelo Brasil.

A dupla se destaca por ter transposto a barreira do público sertanejo e se tornado um grande fenômeno popular. E de onde vem esse estilo próprio que tanto agradou? O próprio Victor responde.

“Quando compus a primeira canção, há 16 anos, não conhecia nenhum compositor e nunca havia ouvido falar sobre como se poderia fazer uma música. Foi como se eu tivesse concebido a primeira canção do mundo. Depois disto, ouvindo meus sentimentos, minha intuição e unindo isso a diversas referências, desde a música regional brasileira ao R&B (Rhythm and Blues), desenvolvi uma forma natural de compor, assim como de tocar, nem um pouco baseado em imitações ou tendências”.

O cantor completa com a ideia citada anteriormente, de que o sucesso é apenas uma consequência, e não um objetivo.

“Creio que o que parte de uma verdade dispensa a fala, porque a verdade fala por si. Então, música, para mim e meu irmão, é uma questão de essência espiritual e compromisso existencial, ou seja, uma forma de darmos sentido às nossas vidas, servindo às pessoas e ao mundo com amor. Enquanto houver esta intenção, certamente mais e mais pessoas absorverão o que queremos passar, independente da idade ou classe”, completa Victor.

A dupla se formou em 1992, quando o “novo” sertanejo, mais melodramático, tomava conta das rádios e dos canais de televisão. Em vídeos do YouTube, é possível conferir apresentações dos irmãos, ainda bem novos, influenciadas pelo sucesso da época.

No entanto, as influências da música de raiz, principalmente, se fizeram presentes, como conta Leo: “Nossa maior influência e primeira foi o sertanejo, escutávamos de tudo, principalmente num segmento mais enraizado. Com o tempo e o crescimento do trabalho, fomos conhecendo outros estilos e passamos a ter outros tipos de referência, do rock até música regional brasileira. Cantamos em bares 15 anos, e isso permitiu fazer um laboratório constante até criar um estilo diferente, o que sempre buscamos”.

Popular em todos os lugares por onde passa, a dupla é também muito presente na internet. Victor e Leo têm, em sua homenagem, dezenas de sites e blogs, com temas que vão da discussão da vida pessoal dos cantores até a agenda internacional da dupla. O ponto de encontro principal para discussão sobre os irmãos, é a bastante comentada comunidade do Orkut (que já foi assunto aqui). Com quase 400 mil pessoas, ela saiu do patamar de ponto de encontro de fãs para o de mais completo canal de informação da dupla na internet.

“Nós trabalhamos sim com a internet, especialmente a gravadora. Sabemos que é realmente um dos maiores e mais rápidos meios de divulgação hoje em dia, e temos consciência que isso trás junto dois lados, o que você diz ou faz, nunca passa em branco e pode ser usado contra ou a favor, a responsabilidade aumenta e muito”, conta Leo. “Temos no escritório pessoas para acompanhar mais de perto a internet, mas quando temos tempo, damos uma fuçadinha também”, completa o cantor.

Apesar de ter um sucesso recente, a dupla enveredou, no ano passado, em uma carreira internacional. Respaldados pela gravadora, Victor e Leo lançaram um álbum em espanhol, para um mercado que sempre se apresentou fechado à música sertaneja, apesar de os irmãos diferirem substancialmente dos outros sertanejos que se aventuraram por outros países da América Latina.

Victor explica: “a carreira internacional partiu de um convite da SONY. Jamais pensamos nisto e nem falávamos espanhol quando surgiu o convite. Tanto no Brasil quanto lá fora, nosso compromisso com a necessidade de fazer “sucesso” é zero. O que fazemos é música, e com muito amor. O que vem depois, é consequência. Então, embora seja muito difícil conciliar nossa agenda do Brasil com o que a carreira internacional nos exige, estamos dando seqüência com naturalidade.

Desde a última semana, a dupla trata publicamente do novo DVD. Depois de muita especulação sobre onde seria gravado o novo trabalho, veio a confirmação de que será na cidade de São Paulo, provavelmente no início de outubro.

Como prévia, a dupla vem apresentando músicas novas durante seus shows, que já foram parar no YouTube pelas mãos de alguns fãs.

Por tudo que a dupla representa nos últimos três anos, a gravação deve ser a mais disputada do ano. Ponto para o mineiros, que bancaram seu próprio estilo dentro do meio sertanejo, e que assim acabaram se tornando um dos mais importantes nomes da música brasileira nos últimos anos.


André Piunti - Universo Sertanejo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Fcvictoreleoduasenergias agradece desde já a sua participação.
Uma ótima semana para você.